A escolha do dentífrico e o uso ou não da pasta com flúor é um tema que ainda gera dúvidas aos pais. 

As virtudes do flúor como forma de prevenção da cárie dentária é estudado há vários anos. Atualmente, é consensual na literatura de que a pasta de dentes com pelo menos 1000ppm de flúor tem a capacidade de prevenir a cárie dentária. Pastas com concentrações inferiores (250 ou 500ppm) mostram ser menos eficazes na prevenção. A cárie dentária é uma doença que depende de vários fatores, tais como da alimentação, da morfologia dos dentes, da saliva, das bactérias, dos hábitos de escovagem e por isso a pasta de dentes, por si só, não é capaz de impedir o desenvolvimento da cárie dentária. 

A prescrição do dentífrico, da escova, da técnica de escovagem e da utilização de elixires deve ter aconselhamento do odontopediatra, que irá estabelecer o risco de cárie de cada criança e realizar um plano individual de prevenção. Em alguns casos poderá ser aconselhado a não bochechar após a escovagem, para potenciar a ação tópica protetora do flúor. 

Apesar de o plano de prevenção deva ser individual, deixo um resumo das recomendações da Direção Geral de Saúde Portuguesa (DGS) e da American Dental Association (ADA). 

Os cuidados de higiene oral devem ser iniciados quando nasce o primeiro dente, com uma pasta de dentes com flúor. A escova deve ser de cabeça pequena, cerdas suaves e a pasta de dentes guardada em local inacessível à criança. 

  • 0-3 anos – Usar uma pequena quantidade de pasta dentífrica (quantidade semelhante a grão de arroz cru) com 1000 de flúor; realizar a escovagem dentária pelo menos 2 vezes por dia após as refeições. A escovagem dentária deve ser sempre realizada pelos pais.  Deve evitar-se o uso de chupetas com mel, açúcar ou outros líquidos açucarados, bem como o uso prolongado do biberão. Os suplementos de flúor (gotas ou comprimidos) não são recomendados.
  • 3-6 anos – A pasta dentífrica deve ter 1000 a 1500ppm de flúor (quantidade semelhante a unha do dedo mindinho da criança) e ser realizada pelo menos 2 vezes por dia após as refeições (1 delas ao deitar). Nesta idade deve ser estimulada a escovagem autónoma por imitação sendo finalizada pelos pais. 
  • A partir dos 6 anos – A pasta deve ter 1500ppm de flúor e a quantidade ser equivalente a 1cm. A escovagem deve ser realizada pelo menos 2 vezes por dia após as refeições (1 delas ao deitar). Em crianças com pouca destreza manual a escovagem dever ser apoiada ou até mesmo realizada pelos pais.  

É também recomendada a realização de consulta de prevenção regular tendo em conta o risco de cárie individual (de 4 em 4 meses, de 6 em 6 meses ou anuais), onde serão realizadas aplicações tópicas de flúor profissional. 

Aconselho a visita precoce ao odontopediatra, logo no “nascimento” do primeiro dente ou até ao completar um ano de idade, para realizar um plano de prevenção individual e receber dicas e truques adequados ao seu filho. Para que a escovagem dentária não seja um drama. 

Se ainda tem dúvidas ou pretende marcar uma de odontopediatria, contacte-nos!

Pronto para sorrir?

MARCAR CONSULTA